13/02/2010

UM EXEMPLO DE HOMEM...

Nasceu em 1918, filho de um membro da casa real da tribo Thembu. As escolas que frequentou eram moldadas no sistema britânico; mais tarde, Mandela diria que fora ensinado a ser «um inglês negro». No entanto, como sul-africano negro, as suas liberdades eram severamente restringidas.

Jovem advogado, aderiu ao Congresso Nacional Africano (ANC), dedicando-se a lutar contra o sistema de apartheid, que assentava na divisão e discriminação raciais. Confrontado com a repressão cada vez mais brutal do regime, foi acusado de organizar um braço armado do ANC. Foi preso em 1962, ao fim de vários meses a viver e trabalhar na clandestinidade. Julgado por traição dois anos depois, foi condenado a prisão perpétua, sem possibilidade de liberdade condicional.
No princípio, esteve confinado na prisão de segurança máxima de Robben Island, ao largo da Cidade do Cabo, o que poderia facilmente tê-lo levado a ceder ao desespero. Mas Mandela não consentiu que lhe quebrassem o espírito.
Nelson Mandela deveria ser designado presidente de todas as nações do Mundo , não só porque é o mais amado , mas também porque é uma consciência viva , como se deve ser político. Todos os políticos podem ter inúmeros cargos, mordomias e importância mas à beira deste homem retirado e sem cargos ou benesses de qualquer espécie são anões. O poder do exemplo é inigualável e premiado. O poder do exemplo tem muita força e não é preciso palavras.

A lição que se retira da sua vida - é um homem que não quer poder e tanto poder tem! E, que se pode servir sem ter um cargo público.

Obrigada por dar uma luz e um sentido a determinadas acções e atitudes.

O facto de tantos sul-africanos se referirem a Nelson Mandela pela abreviatura afectuosa de Madiba, o seu nome de clã, é um sinal da proximidade que sentem para com ele. É que, na África do Sul, Madiba ainda é visto como o pai terno e sábio de uma nação transformada, bem como um verdadeiro estadista à escala global. Um homem que viveu, desde sempre, em luta pela liberdade do seu povo, e que se considera apenas um "homem vulgar".

À pergunta “como gostaria que a História o recordasse?”

NM – Não quero ser apresentado como uma espécie de ser divino. Gostaria de ser recordado como um ser humano vulgar com qualidades e defeitos.

Grande Nelson Mandela!!!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Enviar um comentário